Internet Explorer 8, 9 e 10 e o fim de uma era

Que dia histórico hein pessoal? 12 de Janeiro de 2016. Guardem esse dia em lugar especial da memória.
O dia em que a Microsoft aposentou o Internet Explorer.
Para quem não é tão velho como eu ou como o Diego Eis, talvez essa notícia não seja muito relevante, mas para quem viveu ao menos um pouco dos trágicos dias de desenvolvimento Web com a presença massiva do Internet Explorer, isso é um marco.
Assim como em 2009, o lançamento do Internet Explorer 8 também foi um marco.
Veja o meu velho relato aqui no Blog, no dia do lançamento do dito cujo: http://jaydson.org/internet-explorer-8/.
Na época eu listava feliz os recusros do novo Browser, como uma ferramenta para desenvolvedores! Wow!

Parar de dar suporte as versões velhas do IE representa não apenas o que parece. Isso basicamente mostra uma nova Microsoft adaptada ao "mundo real", digamos assim.
Podemos nos considerar vencedores nessa longa jornada que foi a luta contra o amargo browser azul.

Fim do suporte e futuro

Começando hoje, dia 12 de Janeiro de 2016, somente a versão mais atual do navegador Internet Explorer estará disponível.
No caso, apenas o Internet Explorer 11 receberá o devido suporte da Microsoft.
Por suporte entenda correções de bugs, atualizações de segurança, etc.
Obviamente, o fim do suporte não afetará imediatamente a todos. Não dê pulo de alegrias achando que em um piscar de olhos o mundo estará livre do nosso amigo. Isso leva tempo.
Mas o primeiro e mais importante passo foi dado, não têm volta. Emrpesas que ainda usam as versões velhas aos poucos vão se adaptar e no futuro tudo será lindo.

O futuro é bastante promissor. O novo browser da Microsoft, o Edge, parece ser realmente muito bom, inclusive estando a frente de Chrome e Firefox em vários aspectos.
Mas o fato de fazer um browser que funcione bem não é motivo de orgulho para ninguém, isso é o básico.
O que mais me surpreende é a nova postura que a empresa está tomando, inclusive tornando open-source a engine JavaScript que roda no Edge.

Que época boa para se viver não?
Mas claro, nossa vida de dev Front-end não é fácil. Se hoje a realidade dos browsers nos favorece de um lado, do outro a complexidade absurda que o Front-end se tornou assusta.

comments powered by Disqus